06 séries policiais que todos deveriam assistir

Atualizado: 22 de Jan de 2019



A ficção policial sempre foi um gênero de significativo êxito entre leitores e espectadores.


Desde as clássicas histórias de Agatha Christie e Arthur Conan Doyle, passando pela era do cinema noir em Hollywood até as tramas de suspense policial realistas de hoje, a investigação da mente dos criminosos, suas motivações, e o passo a passo para desvendar as circunstâncias envolvidas num crime sempre exerceram um profundo fascínio no público em geral.


Por isso, a qualidade deste gênero entre as séries de TV, sejam da Netflix, HBO, FX e outras, vem crescendo exponencialmente.


Pensando nisso, resolvi elencar estas 06 séries policias que me encantaram ao longo dos anos e que, de certa maneira, inspiram minha criação literária.



True Detective


Esta série antológica do criador Nic Pizzolatto foi um estrondoso sucesso quando teve sua primeira temporada lançada em 2014, retratando uma dupla de detetives investigando assassinatos e sequestros supostamente cometidos pelo mesmo serial killer ao longo de 17 anos na Louisiana, EUA. O excelente roteiro costurado por Pizzolatto, repleto de reviravoltas e uma tensão de roer as unhas, o tom sombrio que não economiza em violência realista e a densidade psicológica dos personagens, com atuação memorável dos atores Matthew McConaughey e Woody Harrelson, garantem uma narrativa forte e impactante, que jamais decepciona até seu arrebatador final. Apesar da segunda temporada morna lançada em 2015, a nova história, estrelada por Mahershala Ali, chega agora à HBO, no dia 20/01, com elogios da crítica especializada. É aguardar e conferir!



The Sinner


A grande originalidade desta série está no mergulho psicológico que sua premissa sugere (e cumpre). Na primeira temporada, por exemplo, o estopim é um crime mais do que insólito: uma jovem casada e com um filho pequeno, sem antecedentes criminais ou de doença psiquiátrica, assassina a facadas um homem na praia sem motivo aparente. A partir daí, o detetive Harry Ambrose (vivido por Bill Pullman) vai cavoucar a mente e o passado desta mulher que sequer entende o que a levou a cometer um ato tão insano em um momento de total descontrole emocional. As revelações são surpreendentes, perturbadoras, e tudo fecha no final. A segunda temporada segue a mesma cartilha, embora sem a mesma força. São histórias independentes, que têm em comum apenas o protagonista Harry Ambrose, um detetive atormentado por seus próprios distúrbios.



Fargo


Esta série, também antológica, se inspira em dois aspectos do filme homônimo dos irmãos Coen que entrou para a história do cinema. O primeiro é na abordagem de tramas policiais inusitadas ambientadas no estado de Minnesota, que, de uma maneira ou de outra, acabam levando o enredo para a pequena cidade de Fargo, na Dakota do Norte. O outro elo em comum está na figura do(a) policial que investiga o crime, sempre um personagem de origem simples, não necessariamente experiente ou acostumado ao universo violento no qual mergulha, mas munido de boas intenções e sentimentos. São, de certa maneira, crônicas sociais com roupagem do gênero policial, uma vez que retratam a cultura provinciana naquela região dos EUA, equilibrando suspense, um drama um tanto melancólico e uma boa dose de humor negro.



CSI: Crime Scene Investigation


Um criminoso sempre deixa pistas. É o que mostra a série CSI: Crime Scene Investigation, que retrata o difícil cotidiano de um grupo de peritos criminais da cidade de Las Vegas. Um fio de cabelo, um pedaço de unha, pegadas e impressões digitais: tudo pode ser uma pista útil para se chegar ao criminoso. Um aparente suicídio pode revelar-se um cruel assassinato através da análise do tamanho do buraco da bala. Treinados nos antigos métodos de investigação, os especialistas da série buscam todas as evidências no local do crime. Experiência e instinto também são poderosas armas neste minucioso processo. A equipe CSI investiga desde casos de abuso infantil até relações com prostitutas que não acabam bem, passando por roubos em lojas, policiais baleados e casos de legítima defesa. Com tramas inteligentes e bem engendradas, as conclusões sempre tentam pegar o espectador de surpresa. A série, iniciada em 2000, foi um enorme sucesso de público e acabou rendendo 16 temporadas, 337 episódios e 3 spin-offs.



Criminal Minds


Para aquelas que gostam de estudar a ciência por trás da investigação de um crime, Criminal Minds funciona como uma espécie de complemento à CSI. Quando se esgotam as provas e o crime permanece sem solução, o FBI aciona a Unidade de Análise Comportamental, em Washington. No comando está o agente especial Jason Gideon, o analista mais conceituado do FBI nesse campo. Os especialistas de sua equipe incluem um gênio incompreendido e muito inteligente, mas incapaz de se relacionar socialmente; um agente pai de família com habilidade para conquistar a confiança das pessoas e descobrir seus segredos; um especialista em crimes obsessivos e uma perita em delitos sexuais motivada pelo abuso sofrido no passado. Cada membro da equipe, com seus dons específicos, contribui para descobrir as motivações e a identidade dos criminosos, num jogo de permanente tensão.



Crossing Lines


Esta série policial acompanha uma unidade especializada em investigar crimes seriais que atravessam fronteiras européias. A história começa com o ex-policial Carl Hickman vendo sua vida se deteriorar depois de ter sido ferido em um exercício do trabalho. Ele torna-se dependente de morfina e é afastado de sua função, mas encontra uma nova chance de voltar à ativa na Corte Penal Internacional de Haia, onde trabalhará com especialistas de toda a Europa, investigando crimes de serial killers que cruzam as fronteiras de vários países. Ao longo de cada episódio, a história pregressa dos personagens, antes de se juntarem à equipe, é introduzida. Este background oferece uma complexidade maior a cada um, que muitas vezes explica suas atitudes e sua linha de investigação no presente, o que é um ponto forte da série.